Longboard e moto.

Esportes urbanos: no topo da cidade.

Chris e Guto estão unindo esforços para conquistar as estradas de São Paulo e arredores. Veja aqui como estes dois aceleram. Chris Northover é apenas um rapaz que gosta tanto motociclismo que faz disso a sua profissão. Guto é um praticante de longboard brasileiro que faz skateboard há mais de sete anos. A paixão em comum por velocidade e por curvas acabou por juntá-los – independentemente de estarem sobre duas ou quatro rodas. Deixa-se levar também.

Chris e Guto.

Chris e Guto.

A diversão que ambos sentem quando estão sobre rodas é o ponto em comum entre Chris e o seu amigo Guto. Independentemente de ser numa moto ou longboard, andar sobre rodas é uma profissão e uma vocação para ambos. Chris viajou para o Brasil para conduzir com Guto e alguns amigos nas montanhas perto de São Paulo. Equipados com a G 310 R e as longboards, embarcaram numa aventura e divertiram-se imenso.

+ Leia mais
A melhor coisa do longboard é descer a montanha com os meus amigos. Fazer as curvas com eles é simplesmente fantástico! É a melhor sensação de sempre! ”

Guto Negão

Entrevista com Guto

Guto Negão tem 27 anos e já é o campeão mundial de downhill longboarding. O skateboard tem sido a sua paixão desde os 20 anos. Tudo começou como um passatempo e foi por mera coincidência que descobriu que era muito bom. Decidiu participar numa corrida só por diversão, apesar de não ter qualquer treino ou experiência. Ficou impressionado com os excelentes resultados e agora é difícil imaginar uma competição sem ele. Nesta entrevista, Guto fala sobre as suas experiências em longboard, o que o longboard e as motos têm em comum e os seus planos para o futuro.
 
Há quanto tempo pratica longboard?
 
A primeira fez que fiquei de pé num longboard foi quando tinha 20 anos. Vi um e quis saber que raio era aquilo.
 
Como principiante, quais são os principais cuidados a ter?
 
Para quem quer praticar longboard, deixo um conselho: usem sempre capacete e luvas. No início, vai cair muitas vezes e tem de usar as mãos para travar, daí a necessidade de usar luvas. As joelheiras oferecem ainda mais proteção.
 
 
Com que frequência e como treina para ser tão bom?
 
O treino é realmente simples. É mais um treino funcional. Tento melhorar as minhas sequências de movimentos. O verdadeiro treino é andar mesmo. Idealmente, tanto quanto possível e o máximo de dias possível. A melhor forma de treinar é andar com alguém que te pressiona a ser melhor. Logo, precisa de um grande grupo e de montanhas. Muitas montanhas é o melhor, com muitas variações, curvas diferentes e velocidades distintas.
+ Leia mais
Participou de muitos eventos nos últimos anos. Qual foi o melhor e por quê?   
 
Sem dúvida, Teutónia, pela alta velocidade. É uma corrida muito técnica, porque quase não pode se mexer. Aciona o “modo de alta velocidade” e nem pode olhar para cima porque está indo tão depressa e o vento é tão forte que pode cair da tábua a qualquer momento. Foi muito empolgante, mas acho que a corrida mais incrível em que já participei foi a última corrida - quando me tornei campeão mundial.
 
Ainda tem mais alguns objetivos depois de conquistar o título de campeão mundial?
 
O meu objetivo para 2016 é definitivamente voltar a ser campeão mundial. Quero mesmo vencer todas as corridas em que participar. É bem possível conquistar o título de campeão mundial quando acabas algumas vezes em segundo lugar, mas quero sempre ser o vencedor.
 
Qual é a velocidade máxima que já atingiu no longboard?   
 
A minha velocidade máxima medida durante uma corrida foi de 119 km/h, mas o meu recorde pesoal de velocidade máxima é de 139 km/h. Mas não é oficial, porque não tenho como provar.
 
Considera que o motociclismo e o longboard têm aspectos em comum?
 
Para mim, o que o longboard e o motociclismo têm em comum é que se inclina nas curvas e sente o asfalto debaixo das rodas. Acho que a sensação de se inclinar em uma curva à velocidade máxima é muito semelhante tanto na moto como no longboard.
+ Leia mais

Uma entrevista com Chris Northover

"Sou um entusiasta implacável".

Entrevista com o motociclista de acrobacias e autor Chris Northover.

Saiba mais

Prazer de condução intenso

A BMW G 310 R.

A fonte de alimentação ágil é a essência do prazer de conduzir. Foi construída para cidades pulsantes e para todos aqueles que gostam simplesmente de conduzir motos. Caracteriza-se pela sua maneabilidade, facilidade de condução e espírito desportivo. Quer sejas um condutor alto ou baixo, vais sentir-te imediatamente à vontade aos comandos da BMW G 310 R!

Ir para a G 310 R

Mais histórias que poderão interessar-te.

Motociclos aptos.

spinner