"Sou um entusiasta implacável".

Entrevista com o motociclista de acrobacias e autor Chris Northover.

Desafio Park 'n' Ride

Chris Northover é o piloto perfeito para o Desafio Park ‘n’ Ride. Ele conhece a G 310 R de trás para a frente, e ninguém conduz com tanto gosto e à-vontade um veículo de duas rodas. Sendo piloto de acrobacias, fica sempre feliz com um pouco de ação. Então lançámos um novo desafio a Chris. Quem o acompanhou? A G 310 R e o amigo Guto. Se quiseres ver o que Chris, a G 310 R e Guto andaram a tramar, como superaram o desafio e quem conheceram, espreita aqui.

+ Leia mais

Muitas pessoas conhecem-te por causa do vídeo "Storm the embassy". Como é que chegaste a uma ideia tão arrojada?

Na verdade, não estávamos à espera que o vídeo se tornasse tão popular. Um bom amigo com quem já tinha feito alguns vídeos disse-me que tinha acesso a um edifício vazio. Surgiu então uma empresa que nos forneceu as motos para testar - correu tudo na perfeição. Filmámos durante quatro dias e divertimo-nos muito a inventar novas manobras. Na verdade, não sabia se iria conseguir fazer tudo. Mas o meu amigo estava sempre a motivar-me – isso deu-me o entusiasmo necessário para continuar. Nunca pensámos que o vídeo iria ter mais de quatro milhões de visualizações.

+ Leia mais
Como é que entraste no mundo do motociclismo?
Não foi uma decisão que tenha tomado. Simplesmente sinto um fascínio por motos desde que era pequeno. O meu pai corria em automóveis e motos. O meu irmão mais novo também se tornou piloto e agora participa em corridas de automóveis. É lógico que eu também iria entrar no mundo do motociclismo. Sem dúvida que me divirto mais nas motos. Fazem-me sentir livre. A experiência de conduzir uma moto é mais pessoal e próxima do que conduzir um automóvel. Gosto dos dois, mas o motociclismo dá-me mais liberdade. Sou um entusiasta implacável. Não importa os desafios que surgem, nunca me farto. Especialmente no que toca às motas e skates.
Como conseguiste tornar o motociclismo na tua profissão?
Quando era pequeno, tinha o sonho de um dia me tornar um campeão mundial. Costumava fazer pequenas corridas no jardim. Quando não podia conduzir motos, pegava na bicicleta de montanha. E quanto mais velho ficava, mais queria entrar em corridas. O que desejava mais era uma vida ligada ao motociclismo. Inicialmente, pensei que para isso teria que me tornar um piloto profissional. Mais tarde percebi que há várias formas de conduzir motos, divertir-me e ganhar dinheiro com isso - e este é o meu trabalho agora.
+ Leia mais
Sempre quis que a minha vida girasse à volta do motociclismo.

Chris Northover

A G 310 R foi concebida a pensar no aspeto desportivo. Já competiste com a RR. Consegues ver a sua influência na G 310 R?
A G 310 R foi, sem dúvida, influenciada pelo gene desportivo. Conseguimos ver pela sua estrutura que esta não é uma moto comum para o dia a dia. Tem um aspeto desportivo que faz lembrar as suas irmãs maiores, a S 1000 R e a S 1000 RR. A condução é desportiva e as cores BMW Motorsport representam bem as suas origens. Em São Paulo, todos conduzem motos e a G 310 R destaca-se. Entre todas as motos urbanas e suburbanas – e depois a G 310 R. Pum! No meio de tudo isto com o seu equipamento desportivo e a traseira dinâmica.
A moto corresponde às tuas expetativas?
Conduzir a G 310 R foi muito divertido. Primeiro passei algum tempo no estúdio onde só me sentei na moto, sem conduzir, como se fosse para despertar a minha curiosidade. Agora vir ao Brasil para descer as montanhas, passear e andar no meio do trânsito, isso é indescritível. É uma excelente moto que tens de experimentar. É leve, mas a ciclística parece pertencer a uma moto maior. É fácil de conduzir e comporta-se muito bem em curva. Durante as filmagens no Brasil, diverti-me imenso a acelerar na moto montanha acima. Simplesmente por diversão. A G 310 R transmite, sem dúvida, todas as sensações de uma BMW. Apesar de ser mais pequena, sei que estou sentado numa verdadeira BMW. Com elevada qualidade, tudo está bem pensado para intensificar ainda mais o prazer de conduzir.
Sabemos que és autor e que escreves para revistas. Como descreverias a G 310 R numa única frase?
Leveza com prazer de condução intenso. Isto não é bem uma frase, na verdade devia ser melhor nisto. A G 310 R é o arranque perfeito para uma experiência BMW Motorrad, para qualquer tipo de condutor. Puro prazer de conduzir numa moto de elevada qualidade que podes usar todos os dias.
O que têm o motociclismo e o longboard em comum?
Na verdade, bastante. A forma como nos inclinamos nas curvas, o modo como sentimos o asfalto debaixo das rodas. E se cometermos um erro, vamos sentir o asfalto. São desportos semelhantes que proporcionam sensações semelhantes. Também pratico um pouco de skateboard. Quando era mais novo, gostava bastante deste desporto, mas depois acabei por me dedicar totalmente às motos. Agora, o skateboard é mais um passatempo para mim.
+ Leia mais

Chris na G 310 R.

Chris na G 310 R.

Logo na sessão de fotos, Chris percebeu que a G 310 R seria muito divertida. Então teve a oportunidade de conduzir a G 310 R pela primeira vez em São Paulo. Ficou logo impressionado com a facilidade de manuseamento da moto. Também o impressionou o facto de parecer uma BMW maior. A sua conclusão: a G 310 R é o arranque perfeito para uma experiência BMW Motorrad, para qualquer tipo de condutor. Prazer de condução intenso, com uma BMW a sério que podes conduzir todos os dias.

+ Leia mais

Desafie a cidade.

Com a G 310 R por São Paulo.

Saiba mais

Prazer de condução intenso

A BMW G 310 R.

A fonte de alimentação ágil é a essência do prazer de conduzir. Foi construída para cidades pulsantes e para todos aqueles que gostam simplesmente de conduzir motos. Caracteriza-se pela sua maneabilidade, facilidade de condução e espírito desportivo. Quer sejas um condutor alto ou baixo, vais sentir-te imediatamente à vontade aos comandos da BMW G 310 R!

Sobre a G 310 R
Mais histórias que poderão interessar-te.
Motociclos aptos.