Único no mercado mundial de motos, este sistema fornece aos condutores controlos eletrónicos que não só simplificam a afinação da expansão da mola dianteira e traseira e a rigidez do amortecedor traseiro ("pré-carga da mola"), bem como o curso e "dureza" da mola. Tudo isto é controlado de forma confortável através do Multi-Controller, em conjunto com a navegação no ecrã TFT a cores.
De modo a melhor simplificar o controlo e a evitar os erros de afinação involuntários, o condutor só precisa de indicar o estado de carga ("sozinho", "sozinho com bagagem" ou "com passageiro e bagagem"). Em seguida, o sistema analisa a rigidez e o curso da mola e realiza a configuração automaticamente.
De acordo com as preferências de condução de cada um, os condutores podem também selecionar entre os ajustes de ciclística e suspensão "Comfort", "Normal" ou "Sport", que afetam a forma como a moto reage. A unidade de comando eletrónica analisa estas especificações e calcula as taxas de amortecimento adequadas utilizando parâmetros ideais. Em seguida, aciona um motor elétrico que configura a rigidez da mola de forma adequada. No total, estão disponíveis nove opções de configuração diferentes. A taxa de amortecimento é modificada nos amortecedores através de pequenos motores de passo.
Estas modificações adicionais ao curso da mola significam que o nível da moto pode ser otimizado para várias cargas para um nível superior de estabilidade de condução, maneabilidade e conforto. O grau de inclinação em curva não é afetado, mesmo com a carga máxima, com o passageiro e bagagem, para uma condução desportiva mais eficaz. Estes ajustes ao curso da mola também reduzem significativamente o risco de esgotar o curso sob cargas extremas.
As definições do amortecedor ("Normal", "Sport", "Comfort") podem ser alteradas através de um botão, mesmo em andamento. Por motivos funcionais e de segurança, a rigidez da mola só pode ser alterada quando a moto está parada. É utilizado um motor elétrico com engrenagens para modificar o curso da mola.
O curso da mola é alterado utilizando duas molas ligadas em série. Aqui, as forças de compressão são absorvidas por um elemento de elastómero (Cellasto) combinado com uma mola de bobina convencional instalada abaixo. A expansão radial exterior do elemento Cellasto é permanentemente contida no interior de uma manga em aço. No interior, uma manga de alumínio é movido de forma eletro-hidráulica. A posição desta manga interior afeta o comportamento de expansão interno do elemento Cellasto e, consequentemente, o respetivo curso da mola. Isto tem o mesmo efeito que duas molas com diferentes níveis de rigidez. A manga interior assenta sobre a mola de aço, o elemento Cellasto perde a respetiva função afetando apenas a mola de aço. Se a manga interior continuar a ser movida, a rigidez da mola de aço ou a "pré-carga da mola" também pode ser modificada.
Isto permite que a posição estática normal e a geometria de condução permaneçam otimizadas com todas as cargas. Os ajustes adicionais ao curso da mola ao longo de um intervalo amplo de 110–160 Nm serve para aumentar as definições "Sport", "Normal" e "Comfort" no ESA II, aumentando significativamente a capacidade de condução.
Quando comparado com as técnicas de afinação mecânica convencionais para a pré-carga da mola e as características de amortecimento, a vantagem de recorrer à afinação eletrónica da ciclística e da suspensão ESA consiste na constante e imediata harmonização de todos os componentes da ciclística e na prevenção de erros do "utilizador normal". Os condutores também deixam de ter o inconveniente de realizar as afinações com ferramentas, permitindo aplicar modificações em apenas alguns segundos através de um simples botão. Isto facilita muito o transporte inesperado de um passageiro ou a adaptação a um tipo de piso inesperado.
+ Leia mais

Ainda mais tecnologia em pormenor